2 de março de 2008

Pausa para ver Momix

As pausas tornam-se mais frequentes. A vida retoma um curso mais perto do normal. Desta vez, fui ver a estreia de Momix, no Casino de Lisboa. Antes, jantei com a S., e soube-me tão bem, parar um bocado para falar de tanta coisa, umas importantes, outras triviais.

Quanto aos Momix, sabia apenas que ia ver algo que misturava dança e mímica. Mas foi muito mais do que isso.

No espectáculo Opus Cactus, a companhia norte-americana homenageia o deserto, ou os desertos. Os desertos norte-americanos, com os tufos de ervas a rolar, lagartos e cobras. Os desertos árabes, com as suas músicas sentidas e escorpiões. Os desertos da África profunda, com as suas tribos e rituais. Jogando com música, luz e corpos, retratam-se animais, plantas, coisas... Até nos esquecermos de que o que estamos de facto a ver são pessoas. Uma surpresa muito boa.