16 de março de 2009

Pré-culpada por ir de mota

Ontem à noite andei de Vespa. Como já não andava há 6 meses, mal me lembrava da falta de cuidado que a maior parte dos condutores demonstra perante as 2 rodas. Em meia hora, se não estivesse com atenção teria sido abalroada pelo menos por 1 carro e por 1 autocarro. E até por uma scooter 50, que por numa descida ir mais depressa do que eu achava que me podia ultrapassar pela direita quando eu ia virar precisamente à direita.

Mas isto são quase pormenores se comparado com o episódio da estação de serviço. Sim, porque ontem apercebi-me de que se for de mota tenho muito mais hipóteses de ser «suspeita de ir praticar um crime».

Páro na BP do Parque das Nações, frente ao Supercor. Como é hábito, saio da Vespa e, sem tirar o capacete, começo a abastecer (normalmente só tiro o capacete depois, quando vou pagar e já tenho as mãos livres). Ouço então os altifalantes a ligarem-se:
- A senhora da mota é favor tirar o capacete. (voz de mulher, tom autoritário)
Retiro o capacete, meio zangada meio a rir. Abasteço e vou pagar. Entro no estabelecimento e pergunto ao empregado que regra é esta.
- Tem de perguntar à minha colega, foi ela que disse. (vira-me costas)
Dirijo-me à «colega».
- Onde é que está escrito que para abastecer tenho de tirar o capacete?
- São regras. (mulher de cabelo grisalho, rabo de cavalo)
- E se também criarem a regra de que tenho de me despir para abastecer?
- São regras. (não consegue dar mais justificações)
- Pois. Provavelmente se viesse de óculos escuros e com um bigode, mas de carro, não me diriam nada. Mas como venho de mota, toca a tirar o capacete, não vá eu fugir e a bomba perder 6 ou 7 litros de gasolina. Chama-se a isto discriminação, e digo-lhe ainda que não gostei do seu tom.
- Qual é a bomba que vai pagar? (quase a perder o único argumento que tinha, o das regras...)
- A mesma em que me mandou tirar o capacete.
E saio, fula. Porque me deu ordens como se fala com um criminoso em potência, porque só me falou assim porque eu estava de mota, porque é muito maior o prejuízo quando um carro abastece sem pagar, porque regras destas deveriam estar afixadas e ser justificadas.

10 comentários:

Anónimo disse...

adorei :)

Miguel disse...

Mana, realmente é verdade que nas bombas de gasolina tem que se tirar os capacetes. Certo ou errado? Acho que é errado.


Beijinhos,

Vespinha disse...

A mim nunca me tinha acontecido... e acho que agora não vou voltar a experimentar...

Cláudia Abreu Antunes disse...

Mas que parvoíce!! Eu por acaso tiro-o sempre porque não me dá jeito mas sempre vi outros fazerem o mesmo que tu e nunca ouvi ninguém reclamar...
Experimenta noutra bomba!!

Miguel disse...

Mana, vê aqui outros casos semelhantes:
http://forum.mcv.pt/index.php?topic=3943.0

http://www.motoazores.com/index.php/2006/11/27/abastecimentos-na-galp-so-sem-capacete/


Existem vários tópicos com os mesmo relatos e outros tantos de assaltos por parte de motards que usam o capacete como forma de "camuflagem".


Beijinhos,

Mary disse...

Bem, a julgar pelo que o Miguel descobriu, vais ter de te render... embora (sim), meta nervos!

Anita disse...

sejam regras ou não há maneias e "maneiras" de falar...e essa senhora foi completamente indelicada contigo...deixa lá ...cá para mim ela teve foi inveja da vespa eheheh:))

Vespinha disse...

Grrr...

Anónimo disse...

Não é só com motos. Já me "tentaram" exigir pré-pagamento umas quantas vezes pelo facto de ter carro com matrícula estrangeira. Escusado será dizer que nunca paguei antecipadamente... ou me libertavam a bomba, ou ia a outra...

Anónimo disse...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,酒店,