25 de outubro de 2010

Parar para quê?

Se eu, que ando na estrada apenas duas vez por dia, assisto a isto diariamente, como é que a polícia, que supostamente anda na rua todo o dia, não vê? Passar os semáforos com o sinal vermelho está a tornar-se um hábito em Lisboa, e ainda por cima um hábito impune.

Se dantes o amarelo era sinal de «acelera, antes que fique vermelho», agora passou a ser «calma, passo quando me apetecer». A primeira vez que assisti às consequências desta atitude foi no início do ano, em Belém, quando um condutor que passou com o vermelho não matou por pura sorte uma mãe e uma filha que passavam com o verde. Pelo que sei, foi a julgamento mas está tudo na mesma. Agora, foi um amigo meu, que na Gago Coutinho, ao passar calmamente com o verde, «apanha» de raspão com um que vinha de cima e que passara com o vermelho. Pormenor: enquanto o do primeiro caso teve de parar, porque se enfaixou num poste, este fugiu sem haver sequer tempo para ver a cor do carro.

Eu ando de Vespa muitas vezes e, como tal, estou sempre na fila da frente quando o sinal verde abre. E, mais do que nunca, nunca avanço antes de ter a certeza de que não vem ninguém a passar o vermelho. Mesmo habilitando-me a ouvir umas fortes buzinadelas. E garanto que muitas vezes já tenho evitado acidentes por esperar.

Mas que autoridades temos nós que, em vez de controlarem transgressões muito graves como esta, andam entretidas a passar multas e a controlar filmagens de televisão como já vi aqui no meu condomínio? Tenho cá para mim que seria muito mais lucrativo e muito mais pedagógico.

4 comentários:

Kássia Kiss disse...

Mas que hábito mais horrível, cada vez há mais indisciplina!

Continue a ter cuidado com a sua Vespa!

papoila disse...

Já fui atropelada na Av. da Liberdade, numa passagem de peões e com o sinal verde!
Farto-me de ver carros a passar com o sinal encarnado e hoje em dia acho que as passagens de peões são muito perigosas por que estamos descontraídos, julgamos estar protegidos e depois acontecem essas coisas!!!

Vespinha disse...

Infleizmente não confiar em nada começa a ser o mais prudente...

Mary disse...

Ainda esta semana Floripes e eu assistimos a mais um, no cruzamento da D. João V com a Silva Carvalho...