26 de dezembro de 2010

Manifesto sobre a intolerância

Bem sei que é Natal, que deveríamos ser todos muito tolerantes uns para os outros, mas este sentimento é mais forte do que eu. E declaro que estou cada vez mais farta do povo português. Da má educação, da falta de civismo, do egoísmo, da ganância, da falta de atenção e de respeito para com o outro. Só isto pode explicar atitudes de pessoas que, descaradamente, passam à frente em tudo o que é fila, que conduzem com uma agressividade constante e assassina, que nos olham com superioridade e desdém quando mostramos preocupação para com terceiros ou para com animais, que vibram e se alimentam de notícias sobre a crise, que se atropelam nos centros comerciais para conseguirem uma camisola ou um televisor com 20 por cento de desconto...

Fartinha, fartinha, estou mesmo fartinha disto. E quanto mais relatos ouço acerca das atitudes dos povos nórdicos mais me arrependo de nunca ter tomado a decisão (ou ter tido a oportunidade) de emigrar. Queria tanto, mas tanto, viver num país civilizado habitado por gente civilizada. Ou habitado por gente. Já não era pedir muito.

3 comentários:

sininho disse...

pois agora imagina eu que já estive num país mais a norte e resolvi voltar... aaaaaahhhhhh!!!!

Cristina Torrão disse...

Os nórdicos são mais "civilizados", sim. A vida, por aqui, é mais fácil em muitos aspectos, sem dúvida. Mas... e a família a mais de 2000 km de distância? Não é para qualquer um, vespinha ;)

Vespinha disse...

Ainda assim... mas acredito que também não deve ser fácil... :)