1 de maio de 2013

Senti um sismo e tive medo

Há anos, há muitos anos, que eu, parvamente, gostava de saber o que era sentir um sismo. Ao ponto de há 3 ou 4 anos, quando houve um em Lisboa, ter tido «pena» de não ter dado por nada. De facto, há coisas acerca das quais mais valia estarmos bem caladinhos.

De dia 29 para dia 30, dormia num hotel em Ponta Delgada quando acordei com a cama a tremer. Acordei estremunhada, olhei para o relógio: 6h24. A cama oscilava em movimentos certos, de trás para a frente, e no quarto ouviam-se as madeiras (ou as paredes, não sei bem) a estalar. Não faço ideia de quanto tempo durou, sei que pareceu bastante.

Quando parou, imaginei que haveria réplicas, mas na verdade ainda não tinha a certeza se tinha sido mesmo um sismo ou um sonho. Just in case, levantei-me e fui para a porta do quarto: para me colocar debaixo da ombreira e, já agora, para ver se mais alguém no hotel tinha dado por isso. Deparo com meia de dúzia de estrangeiros a sair do quarto com as malas como se nada fosse, a caminho do check out. Ainda fiquei com mais dúvidas.

Voltei a deitar-me, custou-me imenso a voltar a adormecer, e foi só de manhã, quando a minha amiga Mary me ligou pouco depois das 8 e meia para saber se estava tudo bem, que tive a certeza do que tinha acontecido.

Não tinha sido um sonho, o sismo não tinha sido fraco (5,9 na escala de Richter) e não, não tem graça nenhuma. Sobretudo quando se está longe de casa e num quarto desconhecido.

12 comentários:

CAP CRÉUS disse...

Tenho pavor a isso. Sofro imenso por antecipação.
Tive a sorte de enquanto vivi nos Açores, nunca ter sentido nenhum, mas sempre que sinto o cheiro a cimento, vem-me à memória a ilha terceira, pois estive por lá, logo a seguir ao sismo. Lembro-me muito bem do que vi e senti.

Mao Mao disse...

De facto há coisas mais simpáticas do que um sismo... Eu confesso que já passei por 2 ou três e todas as vezes fiquei petrificado... Meddddooo.

Teresa Cardoso disse...

Senti um na Indonésia, em Bali...não achei piadinha nenhuma :( Mais naquele fim do mundo!!

Sunrise disse...

Vá lá que foi só mesmo o abalo e não aconteceu nada mais grave. Nem vamos pensar nisso.

http://newblackis.blogspot.pt/

https://www.facebook.com/TheNewBlackIs

Pippa Coco disse...

Eu acho que era daquelas pessoas que, no meio dum sismo, morria do susto e não do acidente em si. Nem consigo imaginar o medo! :( Ainda bem que acabou tudo bem.

pippacoco.blogspot.pt

Vespinha disse...

Ainda por cima quando se acorda a meio da noite com aquilo e num quarto estranho... não é nada agradável.

GATA disse...

Eu senti o tal de há 3 anos. Aliás, acordei com a cama a abanar. Mas sabes que pensei que era uma experiência paranormal porque "el gato" estava refastelado no sofá da sala?! De manhã soube que tinha sido um sismo, e descobri que tinha um gato anti-sísmico! :-) Mas à uma e tal da manhã andava eu a acender incenso para espantar os espíritos... eu não existo! :-)

medusa disse...

Penso nisso bastantes vezes, acho que borrava toda se sentisse um sismo...tenho imenso medo de passar por essa experiência

Cristina Torrão disse...

Houve um sismo que se sentiu no Norte (região do Porto), era eu pequena, devia ter uns três anos (fins de anos 60) e ainda me lembro de nos termos levantado todos de noite. Os meus pais pegaram em nós (em mim e no meu irmão), mas não faço ideia para onde fomos. Só me lembro de ter falhado a luz, de passarmos no corredor às escuras. Não me lembro dos abanões.

Nos fins dos anos 80, morava eu em Gaia e, de repente, no meu quarto (de dia), os objetos que estavam nas estantes começaram a tilintar. Ouvia-se um barulho, como um camião a passar na rua. Fiquei sem saber o que tinha sido. Depois, li na imprensa que tinha havido um sismo muito fraco, muita gente nem notou.

Vespinha disse...

Os meus pais falam desse nos anos 60, diz-se que foi o maior após o de 1755. E como parece que os sismos são cíclicos, prevê-se outro grande em Lisboa daqui a mais uns 300 anos. :) Eu espero que sim...

Marco C. disse...

ah estavas cá na ilha? :) bem pudeste então experienciar uma das coisas tipicas de cá ;) Já cá estou há 11 anos e este foi mais um a juntar a tantos outros q se sentem cá, de vez em quando. Enquanto for aquele apenas género de "tremeliques" estamos bem...

Vespinha disse...

Sim, a minha irmã, que vive aí, disse-me o mesmo, que é «normal». Para mim é que não foi! :)