12 de julho de 2013

Humanismo

Um hospital deixou um doente terminal ser acompanhado nos seus últimos dias por um dos seus melhores amigos. Se um dia me acontecer, gostava que fosse assim.

15 comentários:

Na Província disse...

Ainda estou sem palavras ....

Coquinhas disse...

Ooooh, que lindo :')

Cristina Torrão disse...

Conhecia esta fotografia, mas não a história que está por trás (embora calculasse algo do género).

Há cerca de um ano, li, num jornal, sobre uma menina americana de 12 anos com um tumor no cérebro e que fez o diário da sua doença, penso que no Facebook, até morrer. Publicava fotografias e também as havia com ela abraçada ao cão, deitado com ela na cama, um golden retriever como a Twiggy.

Anónimo disse...

Olá Vespinha! Comovi-me tanto com esta imagem... estou lavada em lágrimas. Obrigada por partilhares algo tão lindo, e tão duro, ao mesmo tempo. Beijinhos, Ofélia

Celeste Silveira disse...

Penso que é oportuno colocar aqui a célebre quadra.

Por isso fico pensando,
Que ao ver amiguinhos tais,
Quanto mais conheço os homens,
Mais gosto dos animais.

Há gente maravilhosa, tenho a certeza disso. E todos nós conhecemos dúzias delas: contudo a amizade dos animais, é absoluta e incondicional.

Vespinha disse...

Eu fico de lágrimas de olhos sempre que vejo esta imagem.

E, Cristina, quanto à Twiggy, que saudades!

Carolina Duarte disse...

Uau!! É comovente, quem tem sabe bem o que significam :)

GATA disse...

Eu vivi uma situação igual mas em que fui eu quem acompanhou os últimos dias do meu melhor amigo de quatro patas... custou-me tanto (ainda hoje custa) mas conforta-me saber que estive com ele até ao fim...

[...se um dia me acontecer, também gostava gostava que fosse assim... mas há muitooos anooos que eu tenho um pressentimento que morro num acidente de automóvel...]

Mamã de Peep-Toe disse...

Fiquei emocionada só de ver....que amor lindo!

CAP CRÉUS disse...

Pois...mas vives aqui. :-(

Vespinha disse...

É verdade, CAP, é verdade...

Gata, eu não tenho esse pressentimento, mas tenho esse grande medo: http://vespaaabrandar.blogspot.pt/2009/10/pelo-menos-um-minuto-de-silencio.html

Dani disse...

Também gostava...
cacaucaramelo.blogspot.pt

Lígia disse...

Já conhecia e fico logo tipo madalena arrependida... Eu costumava ter um bocadinho de medo da morte, pensar em deixar de existir e assim, chato, né? Mas eis que agora o pensamento que me assalta é outro! Desde que tenho animais mesmo meus (desde que fui viver com o meu namorado portanto!), que tenho um medo terrível de me acontecer alguma coisa e de lhes faltar!! Que seria da minha bicharada sem mim? Principalmente porque sei que sentem muito a minha falta e que não há mais ninguém que gostem tanto como de mim... Só de pensar nisso fico com um aperto! Sei que ficavam bem, muito bem com o meu gajo, mas ia faltar sempre aquele bocadinho assim...;'/

O Sexo e a Idade disse...

Que gesto bonito o desse hospital!
Fiquei arrepiada!

Vespinha disse...

Lígia, sinto o mesmo... O que seria das minhas gatas?