4 de outubro de 2013

Diário da queda, de Michael Laub

Uma queda é um pretexto. Um pretexto para Michel Laub, brasileiro, tentar recuperar memórias do seu avô, sobrevivente de Auschwitz mas que nunca falou sobre o assunto; do seu pai, perdido nas suas próprias memórias que se vão desvanecendo; e de si próprio, nascido numa família judaica mas com quem sente laços já muito ténues.

A queda é a de um colega de escola, que ao querer ser como os judeus, é propositadamente deixado cair ao chão no seu bar mitzvah. E durante o resto da sua vida, Michel regressa a esse momento, como elo de ligação entre todas as pontas soltas que quer juntar. Não é um livro sobre o holocausto, mas ele está lá. Nem sobre a doençaa de Alzheimer, mas ela está lá. Nem sobre o alcoolismo, mas ele está lá. Não é um livro fácil de ler. Mas vale a pena.

Sem comentários: