28 de novembro de 2013

Carta ao meu dono

Em agosto do ano passado, quando a minha Twiggy teve de ser eutanasiada, e quando tive de a levar até ao veterinário e estar com ela até ao fim, a dor foi terrível. Mas, desde o primeiro momento, sabia que ela nunca quereria que eu não tivesse outra cadela. Cerca de um ano depois, apareceu a Loba, uma pastor-alemão preta que nos olha com um olhar de que só os animais são capazes.

Publico aqui esta carta, para que quem perde um animal não caia na tristeza de não querer voltar a ter outro. Porque temos sempre espaço para mais um, e porque há sempre mais um à nossa espera.


4 comentários:

A Página Trinta disse...

Isto toca no coração!!

CAP CRÉUS disse...

É pá, não me faças lacrimejar.
Que saudades e penso que nunca serei capaz de ter outra cadela.

GATA disse...

Concordo... mas não consigo...

Vespinha disse...

Eu não consigo viver sem... e olha que me lembro da Twiggy todos os dias! Mas a alegria de ver a Loba a evoluir é também tão boa...