11 de dezembro de 2013

18 anos de sorte

Foi há 18 anos, por volta das 10h da noite que, depois da defesa de um trabalho final perante um professor um tanto ou quanto sádico, terminei o meu curso. Em casa esperavam-nos há horas (a minha e à Mary) os nossos pais, os meus avós, os meus irmãos, num orgulho que se transformou em ansiedade com o passar do tempo. Mas lá chegou a hora.

Depois, foi a entrada relativamente rápida no mundo do trabalho, numa época em que ainda havia lugar para quem tinha o sonho de ser jornalista ou outra coisa qualquer. Passei por um grande jornal diário e depressa cheguei à conclusão de que a minha realização não era aquela. Eu gostava de escrever, sim, mas não sempre sobre a mesma coisa, todas as semanas, todos os dias, todas as horas. Com alguns ziguezagues pelo caminho acabei por ir parar ao mundo editorial, de onde desde há mais de 10 anos não voltei a sair.

Pelo meio, e durante todo este tempo, estive apenas 6 meses desempregada, o que não significa sem trabalho, porque isso nunca estive. Esforcei-me bastante, sem dúvida, mas admito que tive também muita sorte. Até ao dia de hoje, 11.12.13, que se não fosse a minha mãe não me lembraria do que comemorava. Este ano a minha vida mudou mais um bocadinho, ao passar de uma grande editora para uma bem mais pequena, onde me sinto muito mais feliz. Esforcei-me, claro, mas a sorte esteve também sempre do meu lado. Isso e a medalha que no dia 11.12.95 os meus avós maternos me ofereceram. Algo tão simples quanto isto mas que significa tudo aquilo que todos os dias tento melhorar e alcançar.


10 comentários:

Celeste Silveira disse...

Curioso. Também foi há dezoito anos que tirei o meu maravilhoso curso de História. Devemos ser raparigas da mesma idade. LOL.

Vespinha disse...

Faço 40 no dia 30. :)

GATA disse...

Eu sempre digo que a sorte é fundamental... Eu acabei o curso há 20 anos e andei durante uma década aos trambolhões. Claro que fiz muita coisa que me enriqueceu a nível pessoal e profissional, mas faltou-me - por vezes - a sorte.

PS: tu fazes anos num dia que eu não esqueço...

Carla Pereira disse...

E eu também acabei o meu primeiro curso a 11 de Dezembro, mas há 11 anos!!
Gostei muito das palavras dos teus avós e, se não me engano, elas estão muito presentes em ti.
Beijinhos

Vespinha disse...

Gata, espero que não o esqueças por um bom motivo...

Carla, eu pelo menos tento que estejam presentes, mas nem sempre consigo. Tenho de me esforçar sobretudo pelo otimismo. :)

Izzie disse...

Tem graça, também acabei o curso há 18 anos, mas a 31 de Julho. Tenho é mais dois anos no lombo, que tenho ;)

Na Província disse...

Acabei o meu no dia 18 de Dezembro de 1997, lembro-me tão bem!

Celeste Silveira disse...

Confirma-se então Vespinha! E que grande colheita foi a nossa! Apesar de tristemente nos terem apelidado de "rascas". Mas que raio é isso! Eu também tive sorte. E vivo gloriosamente cercada de livros por todos os lados. E dia trinta vai ser em grande, tenho a certeza! Proibido mesmo, é ouvir a canção do Paco!

Sérgio S disse...

Eu não me lembro em que dia acabei o curso, afinal foi apenas mais um dia de trabalho: fui ter uma discussão de um trabalho às 8h no IST, e às 8h30m já estava safo: curso acabado. Depois for mais um dia de trabalho a começar lá pelas 9h30m. E mais memória desse dia não tenho. Não foi de facto muito romântico, mas é o que dá começar-se a trabalhar antes de acabar o curso.

Vespinha disse...

Sim, a música do Paco remete para meter as barbas de molho. :)