24 de janeiro de 2014

Todos os dias cruzo-me com este senhor quando vou almoçar


E sabe-me bem.

4 comentários:

Flor Guerreira disse...

Olha que sorte!

Sérgio S disse...

Já pensaste que se fosse vivo, a reacção da maioria das pessoas que hoje o veneram seria muito provavelmente algo tipo: "Lá vai aquele sujeito esquisito com ares de alucinado de quem andou certamente a fumar umas coisas esquisitas. Para não falar do estilo de tanso... Que impressão... Vê-se cada personagem mais esquisita nos dias de hoje... Deve estar em liberdade condicional... É capaz de ser melhor proteger a carteira e mudar para o outro lado do passeio..."

Carla Pereira disse...

E que bela companhia!

Vespinha disse...

Sim, na sua época deve ter sido aquilo que hoje chamamos «um tipo estranho». :)