30 de julho de 2014

O Tollan

Hoje de manhã, na M80, o Nuno Markl trouxe-me à memória algo que encheu a minha imaginação na infância: o Tollan. O Tollan era um navio porta-contentores inglês que, em pleno rio Tejo, colidiu com um cargueiro sueco a 16 de fevereiro de 1980, tendo-se afundado e ficando com o casco virado para cima até 3 de dezembro de 1983, quando finalmente foi removido.

Lembro-me bem de o ver no Tejo, ao largo do Terreiro do Paço, uma silhueta que na altura me parecia sinistra e que dava asas à minha imaginação.

Quem se lembra do Tollan?



12 comentários:

espressoandstroopwafel disse...

Olha, eu so vi ao mundo 2 anitos depois da remocao, mas sei da historia e reconheco o nome Tollan porque o meu tio deu o mesmo nome a um barquito muito mauzinho com que ia pescar em barragens so pela graca dos trocadilhos que se podiam fazer!

Letra de Médico disse...

Bem antes de eu nascer. Não fazia ideia desta história :)

letrademedico.blogs.sapo.pt

Vespinha disse...

Aqui a Vespinha também ensina umas coisas! (também não sou assim tão mais velha, mas em 1980 tinha seis anos, LOL!)

medusa disse...

Nunca tinha ouvido falar

Teresa disse...

Lembro-me muito bem! Foi uma imagem no Tejo muuuuitos meses!

Cristina Torrão disse...

Lembro-me do nome, mas, sendo do Norte, não o cheguei a ver. Na verdade, se não tivesse lido o post, nem sabia dizer onde tinha acontecido o acidente.
Mas no Porto também tivemos algo parecido, um cargueiro cheio de petróleo, que encalhou, ou coisa parecida, e até houve um incêndio descomunal. Na altura, eu vivia a mais de dez quilómetros da foz do Douro e lembro-me de ver a fumaraça no céu, durante todo o dia. Pensando bem, não era só fumaraça, era uma matéria voluminosa, mais parecida com aquelas núvens muito escuras de trovoada. Era miúda, por isso, foi nos anos setenta (já não sei dizer se foi antes ou depois do 25 de Abril). O navio partiu-se e um pedaço da proa ficou encalhado mesmo ao pé do Castelo do Queijo, anos e anos - seguramente mais do que três ou quatro anos. Já não me lembro como se chamava o navio. Olha, este agora é um bom desafio. Será que descubro e encontro fotografias?

GATA disse...

Eu, felina sénior, lembro-me... e bem! Há vantagens em ser velha, 'vivemos' certos momentos históricos! :-)

Vespinha disse...

:) E também vivi o 25 de abril, só que ainda nem me punha de pé. :)

Cristina Torrão disse...

Ora, foi em janeiro de 1975 (depois da revolução, portanto), eu tinha 9 anos. Era um petroleiro dinamarquês com o nome "Jacob Maersk", vinha do Irão cheio de petróleo e, ao fazer manobras na barra de Leixões, encalhou num banco de areia, o motor explodiu, o navio partiu-se em três e esteve três dias a arder. Houve tripulantes mortos. Em meados dos anos 1990, ainda se via um pedaço da proa mesmo em frente ao Castelo do Queijo. Eu ainda me lembro da proa ser bem grande, de a ver assim ao alto, mal se chegava àquela praia.

Fotografias aqui:
http://aquitailandia.blogspot.de/2013/06/tragedias-do-porto.html

Coleção de imagens no YouTube (tipo vídeo):
https://www.youtube.com/watch?v=0sY9rk27q84

Também no Facebook:
https://www.facebook.com/caminhosdahistoria.portocanal/posts/407608179335188

Também se pode googlar "Petroleiro Jacob Maersk"

Obrigada pela ideia, Vespinha, escreverei brevemente sobre isto ;)

Vespinha disse...

Que giro, não conhecia a história! Mas depois de ver as fotografias lembrei-me dessa da proa já muito enferrujada... Se calhar foi numa visita de estudo ao Porto ou coisa do género, pois esteve lá até aos anos 90...

joao disse...

e alguém se lembra das muitas tentativas para a sua remoção (sempre préviamente anunciadas) que chegaram a mobilizar milhares de mirones que ficavam horas a fio feitos bócós ?

e já agora...

alguém se lembra do Hildebrand ali para os lados do Guincho que mobilizava milhares de lisboetas aos fins de semana?

Vespinha disse...

Só me lembro mesmo de ver o casco... E do Hildebrand não sabia!