16 de julho de 2014

Os segredos de Jacinta, de Cristina Torrão

É-me muito difícil escrever sobre um livro quando já conhecia a escritora, e por motivos que não a literatura. Comecei a lê-lo com uma espécie de pudor, porque sabia que depois iria escrever sobre ele, e queria escrever bem mas ser sincera ao mesmo tempo.

Agora posso respirar fundo. Porque gostei muito deste livro de Cristina Torrão, que já tinha escrito outros sobre reis portugueses mas nenhum focado essencialmente no povo português. Este retrata a vida de uma rapariga do século XII, no período que antecede o cerco de Lisboa. Uma rapariga do povo que, tal como todas na época, tinha de se submeter cegamente às vontades dos pais e dos irmãos. Mas Jacinta precisa de mais, de decidir o seu caminho, que não é fácil porque cheio de altos e baixos, de momentos de santidade e de pecado.

Mas não se julgue que aqui se retrata apenas a exceção de uma rapariga que fugiu à regra. Ficamos também a conhecer a vida daquelas que seguiam o caminho que lhes era traçado, sem um ai mas também muitas vezes sem felicidade.

A única coisa que tenho apontar é algum exagero de referências a terras e senhores das terras no início do livro, que o fazem prever um pouco confuso. Mas, passada essa fase, tudo se clarifica e as histórias de Jacinta leem-se de um fôlego, tendo mesmo por vezes trazido à minha memória cenas de Os pilares da terra, de Ken Follett, nomeadamente na descrição da vida das pessoas, das deambulações pelos bosques, das feiras e festividades, da luta pela sobrevivência na Idade Média.

O livro não se encontra à venda muito facilmente, mas podem encontrá-lo aqui, na loja online da Poética Edições.

4 comentários:

David Cabanas disse...

Não conhecia...mas a avaliar pela capa tem bom aspeto...

Vespinha disse...

Sim, a capa está muito gira. E o livro vale a pena.

Raquel Mariano disse...

Eu Adorei o Livro! Li-o de um fôlego! A história está bem encadeada, os sentimentos expressados são vibrantes... as aventuras, que a vão salvando das desventuras muito caricatas e apelativas, porque, para mim, ela vai sempre a descer de nível (a vários níveis) e a aumentar de interesse e a ficar mais preenchida por dentro e por fora! Todos os temas abordados são apelativos, porque muito "tabus" e a Cristina Torrão enche-os de simplicidade e vida... como a própria vida... e muito mais gostaria de dizer. Parabéns e muito obrigada Vespinha, também gostei da sua sinceridade e desse referência aos nomes... também senti isso... rsrsrs

Vespinha disse...

Que engraçado teres sentido o mesmo que eu. :) Mas tirando esse senão no início, o livro é excelente, não há um pingo de monotonia!