22 de julho de 2014

Salvo raras exceções...


Assim que me lembre de repente... apenas consigo equiparar a qualidade do livro e do filme O nome da rosa.

9 comentários:

Maria João disse...

Na maior parte das vezes é isso mesmo.

Ana Chagas disse...



Olá Vespinha,

Concordo!

E por vezes dá cá uns nervos, quando se assiste ao filme, e damos conta dos cortes que a narrativa levou, de acrescentos por vezes inenarráveis... Enfim.

Vespinha disse...

Um dos que mais me desiludiu não foi um filme, mas uma série, adaptada de «Os pilares da terra». Achei-a tão, mas tão má!

GATA disse...

Eu acho sempre o livro melhor que o filme. E ponto final.

Das desilusões de adaptações cinematográficas recordo "Meia-Noite no Jardim do Bem e do Mal" (Midnight in the Garden of Good and Evil, no original, por acaso tradução literal, mas muitas vezes não é...) - livro de John Berendt, filme de Clint Eastwood, com um elenco de estrelas. É um livro com muito pormenor e muito pormenor foi cortado quando filmado... e há pequenos pormenores que fazem uma grande diferença!

pedro disse...

Mas há filmes melhores que o livro. Conheço apenas 2: Morte em Veneza e O Misterioso Mr. Ripley.

CAP CRÉUS disse...

No caso que apresentas, preferi bem mais o filme do que o livro.
O que me custou terminar o livro :-)

Vespinha disse...

Eu gostei dos dois. :)

Anónimo disse...

AS HORAS DE MICHAEL CUNNINGHAM. ADOREI O LIVRO E O FILME :)
Sofia

Vespinha disse...

Sofia, bem lembrado. Também li e vi esse e gostei de ambos.