24 de julho de 2014

Vendido!



Por um valor um pouco abaixo do que queria, mas a uma pessoa que está tão feliz por ter ficado com ele que eu fico feliz também. Apesar de ficar com um grande peso sempre que tenho de deixar para trás algo que fez parte do meu dia a dia.

Amanhã conto-vos uma história sobre a epopeia que foi vender o carro.

6 comentários:

Ana Chagas disse...



Boa!

Confesso que também me apego às coisas, crio-lhes sentimento. Não sou uma "hoarder", mas juro que quando tenho que me libertar de certos pertences até me dão palpitações. No entanto, passa rápido se o objecto for de utilidade para alguém.

Vespinha disse...

É só por isso que não me custa tanto. Porque sei para quem foi e que ficou muito contente com isso. :)

CAP CRÉUS disse...

Boa! Menos uma preocupação!

Vespinha disse...

Acredita, é mesmo isso...

GATA disse...

BOA!

Mas certamente a epopeia da venda do teu carro não é nada comprada com a odisseia da venda da minha (outra) casa. Mas, para mim, tudo na vida é difícil... e quando é fácil (raramente) eu desconfio!

Vespinha disse...

Vai ler e vê o que achas...