3 de outubro de 2014

Quando o aberrante acontece


Nem de propósito.

Hoje, quando a minha mãe me contou que uma senhora de 70 e poucos anos, perfeitamente válida, que frequentava o centro de dia onde ela faz voluntariado foi colocada compulsivamente pelo filho num lar longe de tudo e de todos, não sabia eu destes números.

Vale a pena ler a notícia toda aqui, para vermos as bestas que nos estamos a tornar. E, em caso de emergência, ligar para a Linha de Apoio à Vítima: 707 200 077.

5 comentários:

Mamã disse...

Olá, bom dia Rita.
Ontem à tarde, liguei, para "esse" nº, para saber, de que forma podia ajudar a sra.
"Do outro lado", uma gravação: - "De momento, não podemos atender a sua chamada. Por favor, deixe o seu contacto, que lhe ligaremos, quando possível".
Deixei.
Já passaram, talvez, umas 17h (???) e - nada....
Bom fim de semana.
Beijinhos.

Ana Chagas disse...



Já ouvi histórias tão tristes, aberrantes. No início ficava incrédula. É que custa a acreditar que se tratem os próprios pais de forma tão desumana e cruel.
Neste aspecto a nossa sociedade regrediu em muito. Basta ver qualquer documentário sobre tribos supostamente "menos desenvolvidas" e veremos idosos tratados com respeito, que não são marginalizados.
Este tema é muito complicado. Bem sei que a nossa sociedade por tantos motivos não torna a tarefa fácil para os cuidadores de idosos, os filhos que tratam dos pais. Mas escolher o abandono, a crueldade, é simplesmente mau carácter.

Cristina Torrão disse...

Como a Ana Chagas diz, é um tema complicado. Nada, mesmo nada, pode justificar maus tratos a idosos, nem mesmo a vingança (ainda que, em certos casos, inconsciente) de filhos que não foram bem tratados na infância. Cristo ensinou-nos a não sermos vingativos.

Ainda assim, e só por curiosidade, gostaria de saber como foram tratados esses filhos na infância. E qual o carácter que esses pais mostraram ter durante toda a vida.

Só mesmo por curiosidade...

GATA disse...

Não sei como (sobre)vivo numa sociedade em que crianças são abusadas, idosos são abandonados e animais são maltratados. E, desculpa, mas não acredito em linhas de apoio. Ainda estou à espera de um contacto do Instituto Português do Sangue... há quase três meses... Enfim...!!!

Vespinha disse...

A minha mãe continua à espera da chamada da APAV... Linhas para inglês ver...