18 de fevereiro de 2015

A rua Garrett nos anos 30...

... e uma descrição do meu tio que descreve a Baixa de Lisboa como ninguém:

Por mais estranho que possa parecer aos mais novos, a Baixa e o Chiado eram de facto assim! Uma actividade incrível, as lojas e os armazéns cheios, milhares de pessoas nas ruas, dezenas de autocarros e eléctricos permanentemente a circular em direcção a todos os lugares da cidade, muitos automóveis particulares e táxis e... tudo isto sem turistas! Era apenas com a prata da casa. Outra cidade em que vivi.


7 comentários:

Sérgio S disse...

Hoje o equivalente deve ser o Colombo. Dir-se-á então: "Colombo?... Que coisa mais foleira e de pobre... Gente chique não vai ao Colombo, isso é coisa do povo. Gente in vai ao El Corte (para) Ingles (ver).". Sim, mas na volta antigamente com a baixa era a mesma coisa: "ir à baixa é coisa do povo. Gente de boas familias vai à Avenida de Roma.". Ou talvez não...

Sérgio S disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
CAP CRÉUS disse...

Eu acho que quando era puto e ia até à baixa, fosse Natal ou não, era ainda uma grande confusão, não era?
Saudades, muitas saudades.

GATA disse...

Tempos que vão e não voltam...

Ricardo disse...

Bom, posso estar a contradizer algum comentário anterior, mas no Natal e mesmo ainda agora, a Baixa (e concretamente a Rua Garrett) tem imensa gente. E de todos os extratos sociais.
Se gostava de espreitar o tempo retratado na foto?, gostava. A cidade também não estava tão estendida e o foco comercial concentrava-se na Baixa. Mas que a Baixa está na moda, está.

Vespinha disse...

Eu lembro-me de ir à Baixa com a minha mãe ou a minha avó em pequena, íamos ao Grandella. Havia uma grande zona só com brinquedos, tudo em madeira, muito movimento. Adorava!

Anónimo disse...

Que engraçado ver estas fotos!!! Muito Bom!!