6 de fevereiro de 2015

Da infelicidade


Há dias li um artigo sobre as 7 coisas que caracterizam as pessoas infelizes. Não me considero infeliz, embora tenha os meus momentos, mas com dois dos pontos identifiquei-me totalmente, ponto por ponto, e são aqueles que tenho tentado combater, mas que está a ser difícil. São estes:

5. You strive to control your life.
There's a difference between control and striving to achieve our goals. Happy people take steps daily to achieve their goals, but realize in the end, there's very little control over what life throws their way.
Unhappy people tend to micromanage in effort to control all outcomes and fall apart in dramatic display when life throws a wrench in their plan. Happy people can be just as focused, yet still have the ability to go with the flow and not melt down when life delivers a curve-ball.
The key here is to be goal-oriented and focused, but allow room for letting sh*t happen without falling apart when the best laid plans go awry- because they will. Going with the flow is what happy people have as plan B.
6. You consider your future with worry and fear.
There's only so much rent space between your ears. Unhappy people fill their thoughts with what could go wrong versus what might go right.
Happy people take on a healthy dose of delusion and allow themselves to daydream about what they'd like to have life unfold for them. Unhappy people fill that head space with constant worry and fear.
Happy people experience fear and worry, but make an important distinction between feeling it and living it. When fear or worry crosses a happy person's mind, they'll ask themselves if there's an action they can be taken to prevent their fear or worry from happening (there's responsibility again) and they take it. If not, they realize they're spinning in fear and they lay it down.

6 comentários:

Gisela disse...

Isso é ansiedade = excesso de futuro. E nós não controlamos nada do futuro. Só o hoje, e o agora...e mesmo assim...
Por isso, nada de sofrer por antecipação...do que não se conhece, nem se controla...o futuro.

Sérgio S disse...

Pessoas tristes -> tudo é pretexto para resmungar, i.e. contra tudo e contra todos, o mundo está contra mim, eu estou contra o mundo, todos contra todos... Há muita gente assim.

Cristina Torrão disse...

Gosto muito desta frase de Selma Lagerlöf (tenho-a em frente à minha secretária, junto com fotografias e lembretes): «Não nos devemos perguntar, receosos: que me trará o futuro?, mas sim dizer: estou curiosa quanto aos planos que Deus me destina».

Alexx M. disse...

Lendo o artigo, percebo que cumpro todos os pontos, volta e meia, mas nunca por muito tempo. Conclusão: só posso dizer que sou uma pessoa feliz!

Batata Frita disse...

Também li este artigo se não estou em erro. Acho que serve para reflectirmos um pouco sobre cada parágrafo, mas que não devemos levar muito a sério... :)

Vespinha disse...

Gisela, é o que me diz o psicólogo. :) Mas passar à prática é que é mais difícil!