9 de março de 2015

A chico-espertice dos sacos de plástico


Aqui há dias, quando publiquei um cartoon sobre os sacos de plástico, houve uma série de comentários na página da Vespinha do Facebook que me levaram a informar-me um pouco mais sobre o assunto.

Pois aqui vai o que descobri.

Sabiam que a taxa para o Estado dos €0,08 + IVA se aplica apenas aos sacos de plástico leves, aqueles quase transparentes que antigamente nos dava nos supermercados? Só que esses desapareceram de quase todas as lojas, para dar lugar a outros sacos maiores e mais grossos, com publicidade ao estabelecimento, que temos de pagar e que não estão abrangidos pela lei.

Sim, o que pagamos por estes não vai para o Estado, não tem nada a ver com a fiscalidade verde. Os €0,10 destes vão direitinhos para os «bolsos» dos supermercados! Que não se fizeram rogados em cobrar o mesmo preço por eles, para o consumidor pensar que se tratava da taxa. Mas não é.

Aproveitaram-se portanto de uma taxa que serviria para proteger o ambiente para fazerem negócio. E isto é feio. De mim, não levam mais nada.

Vejam toda a reportagem Contas Poupança, da SIC, aqui.

10 comentários:

GATA disse...

Eu já sabia, pelo que só em último caso é que compro um saco! Portugal é um país de chicos-espertos, infelizmente!

Sérgio S disse...

Eu não trabalho para nenhuma empresa de distribuição, nem tenho qualquer tipo de contactos nessa área, mas parece-me que o problema está mais do lado do estado. As empresas são racionais e tem como objetivo a maximização do lucro. Quando tentas vender o teu carro qual é o teu objetivo? Eficiência ambiental ou maximização do valor de venda? Se puderes vender por 100 vendes por 10 por causa do índice de CO2 do carro?
No caso dos sacos, os senhores legisladores foram bem toureados pelas superfícies comerciais. É como jogar xadrez: o estado fez uma jogada à campeão assumindo que o adversário era burrinho; na jogada seguinte o adversário respondeu de forma óbvia e o estado engoliu em seco. Afinal quem é o burrinho nesta história toda? Mas não me admira: a maior parte dos legisladores nunca geriu um café ou quiosque, e não fazem ideia do que é uma empresa, portanto é normal levarem estes bailinhos quando entram no despique com o pessoal decano dos negócios.

CAP CRÉUS disse...

Fizeram o papel deles, mas de mim, nem mais um cêntimo em sacos de plástico.

Vespinha disse...

As empresas estão a cumprir a lei, isso não está em causa. O que me chateia é a chico-espertice que prejudica não só o Estado mas sobretudo os consumidores, que pensam que estão a pagar os €0,10 porque é a lei e não que os estão a dar às grandes superfícies... Imaginem o que estarão a ganhar se uma pessoa em cada três tiverem de comprar saco...

medusa disse...

aqui na Suécia já há muito que se paga pelos sacos, eu já estou mais que habituada a levar os meus

Vespinha disse...

Medusa, a questão não tem a ver com pagar, mas em os supermercados se terem aproveitado de uma lei para ganhar mais uns (largos) trocos. Porque a médio prazo quem ganha é sempre o ambiente. :)

G. disse...

Sempre me recusei a comprar sacos para as compras, mas reparei que já lojistas que andam a abusar. A Sportzone é uma delas. No sábado comprei um conjunto de calças e casaco e no final questionam se queria saco. E, como sabemos, os sacos desta loja sempre foram diferentes: rígidos, pesados.
Uma vergonha. O império do Belmiro continua a somar e a somar com os roubos à descarada.

Vespinha disse...

Nas farmácias deixaram de ter sacos de papel; agora têm de plástico e cobram por eles...

Portuguesinha disse...

Temos um governo estúpido (e surdo aos argumentos que explicavam porquê a medida não ia resultar)
E, como já se sabe, temos uns negociantes espertos, que se aproveitam de Leopoldinas e taxas para ganhar mais uns centimos. Porque todos os centimos fazem os seus milhoes.

Bruxa Mimi disse...

Nunca na farmácia me deram um saco de papel!