15 de junho de 2015

A nossa experiência na Casa Assombrada


Já há quatro anos que tinha tentado participar no projeto, e o seu término inesperado na altura deixou-me de água na boca. Assim, logo que soube que tinha regressado, agora numa velha quinta em Belas, fui rápida a juntar um grupo e a inscrever-nos.

O objetivo é percorrermos mais de 20 divisões da casa, em busca de pistas, e concluirmos que o medo é mesmo psicológico. O nosso grupo inicial era de oito pessoas, mas duas desistiram praticamente ao entrar. Os outros seguiram. Não posso (nem quero) descrever aquilo porque passámos, para não estragar a experiência a quem ainda vai participar, mas posso garantir que vale a pena para quem se mentalize.

Saí de lá inteira mas nervosa, muito agradecida a um amigo que se prestava sempre a entrar de peito aberto em cada divisão e depois de alguns gritos, gargalhadas e suores frios.

Aconselho a quem tenha espírito para estas coisas. O Teatro Reflexo, que organizou o projeto, está de parabéns por ter organizado um evento que não esqueceremos tão cedo.

Para saberem mais sobre o Projeto Casa Assombrada, podem consultar a página do Facebook. Posso já adiantar que custa €10 por pessoa, que funciona nas noites de sexta-feira e sábado até final de julho e que se prevê que em setembro continue depois de uma pausa em agosto.

Nota: Podem ver um vídeo com a nossa linda figurinha depois de de lá sairmos aqui.

4 comentários:

Ana Chagas disse...



Lindo! Tenho mesmo que ir!
Faz-me lembrar uma noite, há tantos anos atrás, em que eu e o marido, fomos sozinhos à casa do terror na antiga feira popular. E eu à frente! Corajosa q.b. para estas coisas, não fosse a bexiga trair-me e a meio do caminho ter já o pensamento focado num w.c.!

GATA disse...

Vocês são doidos! A mim bastam-me os vivos! E já é muito!

Lígia disse...

Que fixe!!!

Vespinha disse...

Foi mesmo... mas assustador!