17 de junho de 2015

O mal de que o ser humano é capaz


Como é que uma raça que era considerada ideal para tomar conta de crianças acaba por se transformar numa raça de alto risco, classificada como perigosa e utilizada para lutas de cães? Bem que podíamos usar todo este engenho para fazer o bem...

2 comentários:

Ana Chagas disse...


Nem mais!
Com muita pena minha, porque sei que a culpa nunca é dos animais, mas é uma das raças de cães com que não me sinto nada à vontade. Porque o instinto está presente em todos os animais, de todas as espécies, raças e dimensões - é algo que não é criticável, pois é natural, mas que também não deve ser esquecido. E quando o humano responsável, por ignorância ou má intenção, não providencia ao seu animal os cuidados, o amor e treino necessários ao desenvolvimento de um ser equilibrado, azares acontecem. Pela anatomia uma dentada de um pitbull é bem diferente de um Jack Russell por exemplo, e isso também não ajuda à reputação que estes animais foram ganhando.

Vespinha disse...

Claro, é como a diferença entre um gato e um tigre. O tigre pode ser muito bonzinho e domesticado, mas uma patada dele será sempre pior do que a de um gato.

Mas é terrível pensar como se manipula para o mal...