13 de julho de 2015

Das bolas na praia


Não falo das bolas de Berlim, que essas de vez em quando não fazem mal nenhum, mas das bolas de futebol, daquelas mesmo muito duras. Que talvez sejam um dos motivos por que eu sou tão esquisita com praias e, na zona da Grande Lisboa, adore a sério uma e goste de mais duas ou três. Mas às vezes, para estar apenas uma ou duas horas na praia, não me compensa percorrer os mais de 40 km que me separam da Adraga ou da Ericeira, e tenho de me contentar com as da linha do Estoril ou da Costa.

No sábado cheguei a uma dessas praias já pelas 16h e fui para a zona mais sossegada possível. Adormeci. E acordei literalmente no meio de um jogo de bola jogado por uns tipos já com idade para terem juízo. Todos com de 80 kg para cima, todos a chutarem a bola como se estivessem a pontapear o seu pior inimigo. Foi inevitável a bola vir para cima de mim duas vezes, até que, mesmo depois de protestar, tive como única opção levantar-me e ir-me embora. Estiveram-se nas tintas, como é óbvio.

Que pena tenho de ser proibido levar cães para a praia. Não que concorde com isso, porque é muito difícil controlá-los para não irem chatear as outras pessoas. Mas estou certa de que se tivesse a Loba comigo os calmeirões não se teriam sequer aproximado e, a fazê-lo, a bola duraria pouco tempo.

Sonho com o dia em que bolas destas figurem nos sinais de proibido à entrada da praia. Incomodam, geram barulho e, acima de tudo podem magoar a sério alguém. Não quero pensar como ficaria uma criança atingida por uma bola com a velocidade que aquela levava.

10 comentários:

Miguel Barroso disse...

Se fosse numa zona concessionada, eles tinham mesmo de parar:

http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1633522&page=-1

E há muitas mais regras - umas que julgamos saber, outras nem por isso:

http://visao.sapo.pt/o-que-e-que-se-pode-e-nao-pode-fazer-na-praia=f825138

Vespinha disse...

Muito interessante o artigo sobre as regras, desconhecia algumas delas!

Não sei se a zona era concessionada, mas da próxima vez (que espero que não seja assim tão próxima) vou verificar...

Marisa Maria disse...

Não me queixo das pessoas mais velhas que jogam à bola na praia, esses por norma têm juízo. O pior são os miúdos que teimam em fazê-lo mesmo colados a mim e que estão acompanhados por adultos que estão-se a borrifar para o que eles fazem. Como sou muito simpática ponho-me a ralhar com os miúdos e eles lá se afastam

CAP CRÉUS disse...

Somos dois já.
Algo que me irrita solenemente.
O jogo da bola e a falta de educação.

Ana Chagas disse...


Estou convosco. Também não me agrada. Mas isso das bolas é apenas um item de uma lista variada que inclui quem ouve música alta, quem não apanha o lixo, quem, havendo espaço de sobra no areal, vem-se instalar coladinho a nós...

Sérgio S disse...

Porque nao foste jogar à bola com eles?

Sérgio S disse...

Porque nao foste jogar à bola com eles?

Sérgio S disse...

Porque nao foste jogar à bola com eles?

Vespinha disse...

Marisa, estes era «mais velhos», pelo menos uns 30 anos deviam ter...

Sérgio, prezo muito a minha pele sem nódoas negras. :)

Marisa Maria disse...

A minha praga é mesmo com putos, talvez os mais velhos de cá sejam mais educados ;)