9 de novembro de 2015

No Metro da Gare do Oriente


É incrível a quantidade de mulheres ciganas que se encontram encostadas às máquinas de compra de bilhetes no Metro da Gare do Oriente. Dizem que estão ali para a ajudar, mas a verdade é que estão ali para fazer pressão, pedindo moedas às pessoas que têm a certeza de que as têm, uma vez que estão a vê-las a fazer um pagamento.

Numa estação com tantos turistas (e não só) a chegar e a partir, é vergonhoso que não haja ninguém (até porque a PSP fica um ou dois pisos abaixo) que as mande sair dali, pela pressão que estão a fazer. Não gosto de tratar mal quem pede esmola, mas aquele esquema organizado irrita-me bastante, e dei por mim a pensar numa palavra que não queria: «enxotar».

5 comentários:

A.João disse...

Acho que a PSP já desistiu de intervir, basta passar junto à esquadra e ver o que se passa ali.

Vespinha disse...

Sim, é verdade, esse túnel está cheio de pessoas sem-abrigo... Mas no caso delas é mais incomodativo, porque estão ali mesmo para pressionar e, se possível, enganar...

CAP CRÉUS disse...

Tens é de andar atenta!

Ana Chagas disse...


Talvez seja uma pessoa horrível, mas detesto tanto esse tipo de pressão que é coisa para afastar qualquer intenção anterior de ajudar.
Recuso-me a ajudar seja quem for que pensa que me pode forçar a uma acção ou comportamento por meio de insistência ou pressão. É tipo braço de ferro entre teimosos, e garanto que não me ganham. Pelo contrário, fico com uma aversão ad eternum. Há anos trabalhava nas avenidas novas, e de dois em dois passos tinha que levar com grupos daquelas ciganas de leste, incómodas a ponto de se encostarem aos vidros dos restaurantes a olhar fixamente para as pessoas, a incomodar e a perseguir na rua. Se um dia senti compaixão e vontade de ajudar, a partir desse momento e até hoje só tenho aversão, por pior que soe.

Vespinha disse...

Mas para que serve então a PSP? Para estar a assistir às maratonas, como aconteceu há uns dias que se estavam nas tintas para quem não estava a correr?