21 de dezembro de 2015

Minha mãe, de Nanni Moretti


Depois de uma comédia de costumes com Habemus Papam, Moretti enveredou agora por um registo mais intimista e também muito autobiográfico: o dia a dia de uma realizadora de cinema que tem de conciliar o trabalho com a morte iminente da mãe.

Margherita é o alter ego de Moretti, que teve de lidar precisamente com a mesma situação na rodagem do seu último filme. E Moretti ganha um papel secundário mas importante, o de irmão da realizadora, com mais disponibilidade para cuidar da mãe e ir colocando a irmã a par da evolução da doença.

É de facto um drama, este filme de Moretti. Mas com a virtuosidade de conseguir ter também bastantes traços de comédia, graças à chegada a Roma do ator norte-americano Barry Huggins (interpretado por John Turturro) para representar o papel principal no filme de Margherita (que, por curiosidade, incide sobre o fecho de uma fábrica e respetiva revolta dos operários). Barry, cheio de si, é o verdadeiro cromo, e as suas tentativas de decorar simples deixas geram cenas hilariantes.

Fãs de Moretti, não percam tempo que o filme deve sair depressa das salas.

Sem comentários: