11 de fevereiro de 2016

Os gatos e as crianças

Uma das coisas que sempre temi foi a reação dos gatos ao terem de conviver com bebés pela primeira vez. Mas cada vez mais tenho falado com pessoas e visto imagens e vídeos que me vão tranquilizando. Por isso, espero a curto prazo poder eu própria tirar fotografias como estas:









17 comentários:

Ana Chagas disse...


Olá :)

Sabes que não tenho bébés, mas posso partilhar uma experiência que se passou quando cá por casa só havia o gato Ulisses.
Um dia, uma vizinha veio cá a casa com o seu menino, ainda muito muito pequenino, adormecido no ovo. Entrámos na sala e ela pousou o ovo no chão.
O Ulisses entrou na sala e eu fiquei tanto curiosa como apreensiva. Estava super atenta e pronta para agarrar o gato mal ele mostrasse algum comportamento em relação à criança que não me agradasse. Mas, o que vi, nunca mais hei-de esquecer em toda a minha vida. Disse-lhe "Ulisses, é um bébé, sê meiguinho, tem cuidado." Ele rodeava e cheirava o ovo com uma ligeireza, um cuidado, uma meiguice e tranquilidade nos movimentos como se soubesse.

Pink Poison disse...

Coisas fofas e os cães são super pacientes também ...

jao disse...

Convivi com um gato nos primeiros anos da minha vida: era o Tota! Ainda hoje tenho saudades dele

Vespinha disse...

Lembro-me bem de ouvir falar no Tota! :) As minhas gatas têm um feitio muito especial, mas tenho a certeza de que se portarão à altura!

alexandra g. disse...

:)

Eugénia Ramiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eugénia Ramiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eugénia Ramiro disse...

Quando a Constança nasceu, já tínhamos três dos quatro gatos que temos hoje. Também eu temi a reacção deles (apesar de serem três doces criaturas). Foram reacções e períodos de adaptação diferentes. Cada vez que a C. chorava (e os recém nascidos como se sabe não choram nada... ;) ), havia três gatos à porta do nosso quarto. Fiz as apresentações assim: coloquei a C. no ovo, no chão da sala e, sempre atenta, dei-a a conhecer, falando literalmente com eles (não, não é a fase da alucinação; eu falo mesmo, e e muito, com os meus gatos; e mais: acredito que entendem boa parte do que digo). À gato, ficaram muito curiosos, mas também receosos (embora nunca agressivos). Andaram algum tempo um pouco assustados com algumas das novas rotinas (os novos cheiros, por exemplo, como não podia deixar de ser quando se fala de felinos...), mas ao fim de algum tempo, já eram todos "irmãos", numa relação que cresce a cada dia, até ao presente, seis anos decorridos. A gata Carlota demorou quase dois anos a deixar que a C. lhe tocasse 'à séria', mas isso é porque é de facto uma gata muito reservada (apesar de doce). Nunca tivemos incidentes de maior (umas arranhadelas apenas - não intencionais - até a C. aprender que brincar com fitas e gatos implica que não lhas vamos tirar sem que pensem que é para agarrar fitas, dedos e tudo... :)).

No fundo, queria dizer eu o quê? Que há uma aprendizagem múltipa a fazer: nossa em relação aos gatos, dos gatos face ao novo membro da família mas também (e julgo que frequentemente muitos se esquecem) também da criança em crescimento no que pode e não pode fazer aos gatos (válidos para cães, etc.) E se esta última não fosse tão esquecida, muitos acidentes se evitariam...

Naturalmente, contigo só pode correr tudo bem também.

Beijo! <3

CAP CRÉUS disse...

Vais ter ataques de ciumes, sabes disso, certo?
A Ingrid "sofre" nas mãos do puto mais novo...Muita pachorra tem ela.

Pink Poison disse...

Estás grávida?

Vespinha disse...

Eu também acho que vai correr bem, apesar de as minhas serem "filhas únicas" há 12 anos... Por isso, como tenho de fazer algumas alterações em casa, estou a fazê-las aos poucos, para elas se irem habituando.

Pink, sim, estou! :)

Pink Poison disse...

Ahhhhhhhhhhhhhhhh, tão bom !!! Fico muito feliz por ti!

Vespinha disse...

:)

. margarida . disse...

Parabéns !
Que boa noticia !
Quanto aos miaus,cá em casa,desde que a bébé entrou pela 1ªx,nunca houve problemas.
Houve curiosidade,receio....medo ( da gata !), quando a pequena criatura começou a gatinhar e « corria » atrás da gata...cenas hilariantes da minha filha juntinho do prato da ração perante a incredibilidade da bichana,enfim,tudo muito bons momentos.
Ah,durante a gravidez,a minha gata dormia encostadinha à minha barriga e levantava a cabeça para mim quando a bébé se mexia.

Beijiños e tudo de bom !

. margarida .

Vespinha disse...

Olá Margarida! Ainda não sinto as bebés (são duas!), mas quando acontecer vou encostar ainda mais as minhas gatas à barriga (se é que isso é possível, já se encostam tanto...).

Mas estou confiante, cada vez mais, por tudo o que me têm contado. Que bom! :)

CAP CRÉUS disse...

Muito bom!
Tudo a correr bem!

Vespinha disse...

I hope so! ;)