23 de maio de 2016

O "E se fosse consigo?" de hoje


Segundo o que me apercebi, o programa de hoje será sobre os maus tratos a idosos por familiares, Ainda antes de ver a emissão já posso responder à pergunta: Sim, se fosse comigo eu interviria, como aliás já o fiz e relatei aqui, em abril do ano passado.

Gosto do programa, faz-nos estar mais atentos ao próximo.

8 comentários:

Pink Poison disse...

Sem dúvida, esse programa é uma ferramenta social para muitas mentes fechadas...

Vespinha disse...

Sou fã!

Alexx M. disse...

Gosto do programa, tenho visto todos, mas acho-o limitado. Reduz os temas abordados à mensagem que quer transmitir e apenas a isso. Limita as escolhas das pessoas: quem interfere é bom, quem não interfere é mau. E isso nunca deve ser assim tão redutor. Bem como os testemunhos apresentados: por exemplo, no caso do racismo, foram três mulheres brancas com homens pretos. Gostava de ter visto um casal ao contrário. No caso da obesidade: três mulheres, gostava de ter visto um homem. E sinceramente também gostava de ter visto um testemunho, seja em que episódio for, a dizer o contrário daquilo que se apregoa no programa. A dizer que nunca sentiu discriminação familiar por namorar com uma pessoa de outra cor ou do mesmo sexo, que nunca foi infeliz por ser gordo...
É um programa muito interessante, mas mostra-nos apenas aquilo que nos quer mostrar e, infelizmente, a maioria das pessoas come e cala e não pensa para além do que está a dar na TV. Podia ser melhor!

Ana Chagas disse...


Nunca consigo apanhar o programa quando dá na tv, mas vejo-o depois e mesmo com algumas falhas, acho que é do melhor que se fez nos últimos tempos. Fazia falta algo que contrariasse os reality shows acéfalo, que provocasse a reflexão e o debate.

Quanto a este tema dos idosos dá pano para mangas. Reli o teu post anterior sobre o tema e o que defendo é que devemos sempre intervir, mas da forma como fizeste: com calma. Não é fácil ser idoso, mas devemo-nos lembrar que também não é fácil ser cuidador de um. Este país não para velhos, mas também não é para quem cuida deles. Se existissem mais apoios, locais de qualidade onde os deixar parte da semana por exemplo, acessíveis a todas as bolsas, para que os cuidadores tivessem vida própria e pudessem descansar, as frustrações seriam bem menos, e a harmonia entre as gerações bem mais fácil de atingir.

Vespinha disse...

O programa tem limitações, concordo. Mas não deixa de ser uma pedrada no charco apontar o dedo a tantos tipos de discriminação e em horário nobre. A ver se nos desligamos de concursos idiotas, telenovelas e reality shows e começamos a pensar um bocadinho. Alexx, até o facto de extrapolares para outros problemas e outras abrangências já é um sinal positivo da existência do programa. :)

Alexx M. disse...

Sim, é isso mesmo que quero dizer. Gosto do programa, acho-o muito interessante, mas isto é mesmo uma crítica construtiva, no sentido de que ainda pode melhorar mais. Mas felizmente percebo que há muita gente a quem isto está a chamar a atenção e isso é bom!

GATA disse...

Como sabes, durante quase um ano, a minha mãe e eu tomamos conta de um a senhora, nossa vizinha e amiga, e só nós sabemos o que passámos para conseguir encontrar um lar decente a todos os níveis - incluindo o preço. A experiência marcou-me profundamente, ao ponto de - se chegar a velha, sozinha e sem apoios - considerar o suicídio. Quando digo isto, as pessoas ficam chocadas... mas aposto que ficariam mais chocadas se tivessem visto e ouvido o que eu vi e ouvi...

Vespinha disse...

Gata, percebo-te, mas duvido que tivesse essa coragem, apesar de em grande parte dos casos não haver melhorias à vista...