17 de janeiro de 2017

Beleza colateral, de David Frankel


O publicitário nova-iorquino Howard Inlet (Will Smith) é um homem de sucesso, gerindo uma agência inovadora onde todos o admiram. Até que um dia a sua vida pessoal muda da maneira mais trágica, deixando-o sem capacidade para gerir o que o rodeia e o que está dentro dele.

Com a agência em maus lençóis, três dos seus colegas e maiores amigos (Edward Norton, Kate Winslet e Michael Peña) veem-se a braços com a tentativa de o tentarem recuperar a ele e, inerentemente, o negócio.

Quando descobrem que Howard escreveu cartas aos que, para si, são os três elementos fundamentais da vida - o Tempo, o Amor e a Morte -, decidem contratar três atores amadores (Keira Knightley, Helen Mirren e Jacob Latimore) para vestirem as personagens e confrontarem Howard com as cartas que escreveu.

Apreciei o filme, apesar de continuar a não encontrar beleza na morte. Surpreendeu-me o final. E gostei do elenco, de luxo mas em que as personagens não se sobrepõem umas às outras.

1 comentário:

Rodrigo Tavares disse...

Gostei de sua crítica e resenha do filme Beleza Oculta. Na minha opinião, este foi um dos melhores filmes de drama que foi lançado este ano. O ritmo é bom e consegue nos prender desde o princípio. Devo dizer que Beleza Oculta filme foi uma surpresa pra mim, já que foi uma historia de drama muito criativa que usou elementos inovadores. Também gostei do elenco e não tem dúvida de que Will Smith foi perfeito para o papel principal.