18 de outubro de 2012

Pessoas que merecem uma vénia (ou muitas)

Há uma família que há dois meses perdeu um cão, o Davis, vítima de uma lesão medular. E a partir daí, não querendo ter por enquanto mais cães, decidiram fazer voluntariado numa associação de proteção de animais. Depois de lá chegarem, não demorou muito até mãe e filho se aproximarem de uma cadelinha castanha, a Nucha. E daí até decidirem ficar com ela foi um instante.

Até aqui é uma história bonita, mas é muito mais do que isso... porque a Nucha tem 16 anos, pelo menos 10 dos quais vividos no albergue! E, asseguro-vos, não é qualquer pessoa que tem a coragem de adotar um animal idoso, em que as hipóteses de adoecer são maiores e a esperança de vida muito menor. A Nucha cativou-os e eles deixaram-se cativar. O que, acrescento, não deve ser nada fácil depois de se perder um cão.

Desde dia 1 de outubro que podemos acompanhar esta nova vida da Nucha regularmente, no blogue Novidades da Nucha. Preparem-se para derramar umas lágrimas, mas por uma causa muito nobre. Ficou-me gravado na memória o pedido do Gabriel à mãe quando conheceu a cadelinha: «Sim, levamos a Nucha, mãe. Vamos dar-lhe uma velhice melhor!»

6 comentários:

estouparaaquivirada disse...

História fantástica! Adorei.
Também herdei um velhote cheio de problemas mas cá está e é muito querido, um amor.
xx

Cristina Torrão disse...

Já conhecia, é um amor :)

Lígia disse...

Eu gabei-lhes logo a coragem...depois de perderem o Davis, adotarem uma cadelinha sénior não é para todos...!
Mas é uma ternura, D. Nucha, que eu também acompanho o blog:)

Clara Fernandes disse...

Oh...que linda homenagem, agora somos nós quem está comovido. Não era preciso, mas é tão bom de ler. É uma alegria ver a Nucha a dormir, tão tranquila. Parece que esta foi sempre a casa dela.Ao ir até ao albergue não tinha mesmo na ideia trazer um cão. Foi ela que quis vir e não conseguimos recusar!

Vespinha disse...

Eu é que vos agradeço pelo vosso gesto, tomara a todos os cães e gatos do mundo encontarem pessoas assim...

Joana disse...

Obrigada por partilhar! Pessoas e blogues assim deveriam ser mais valorizados. Beijinho