3 de fevereiro de 2014

Quando a cabeça não tem juízo


Quando Amy Winehouse morreu de overdose, tive pena, mas não me surpreendi. Quando Whitney Houston morreu aparentemente pelo mesmo motivo, idem.

Mas agora com Philip Seymour Hoffman fiquei boquiaberta. Como é um ator já consagrado com apenas 46 anos, com uma carreira sólida e reconhecida, cai no mesmo erro? Li que tinha agora recaído após 23 anos de abstinência de heroína. Recaída, agora? Depois de já ter recebido um óscar e de ter representado papéis extraordinários em Capote, O talentoso Mr. Ripley, A dúvida, A última hora, Magnólia, isto para apenas referir aqueles que me lembro de ter visto? Pena, é o que tenho. De uma pessoa com uma carreira ainda com tanto para dar.

6 comentários:

Nadinha de Importante disse...

Também não percebo...como é possível ter uma recaída?! Um grande actor que se perde!

nadinhadeimportante.blogspot.pt

Vespinha disse...

Tinha família, uma carreira brilhante, tanto potencial... :(

Anónimo disse...

Vespinha, será que ter isso tudo é felicidade, ouvi ontem em algum lado, não me recordo onde, mas ficou no ouvido, que:
-Ter tudo é não conseguir desejar mais nada e entrar em desespero...

Por vezes também me apetece fazer um disparate qualquer, pelo facto de ter que contar os € todos os dias para o pão...mas depois penso nos meus filhos e ...
Este Sr, com 3 filhos menores, nem neles pensou, não tenho pena dele, apenas não soube aproveitar o que tinha!!

Maria

Alex disse...

É mesmo!

Vespinha disse...

Maria, tens toda a razão... mas não deixa de me fazer muita impressão. :(

Cristina Torrão disse...

Há pessoas que têm muitos problemas em aceitar o sucesso por acharem que não o merecem. São traumas da infância, uma crença de que, no fundo, são más e não merecem aquilo que atingem. Conflitos destes podem atingir grandes proporções e são bastante frequentes em pessoas famosas. Essas pessoas sofrem muito, mesmo que, à primeira vista, tenham tudo para serem felizes.