30 de setembro de 2014

O dia mais triste da minha vida...

... foi há 17 anos, mais ou menos pela hora de almoço. Estava na cantina do Público, ainda na Quinta do Lambert, quando alguém me foi chamar porque tinha uma chamada urgente. Cheguei à minha secretária e do outro lado da linha estava o meu pai. Ao longe, ouvia a minha mãe a chorar. Ele só me conseguia dizer «A Babá... a Babá...» e eu terminei com um «... morreu!?».

Nunca mais esquecerei a incredulidade, o frio que me percorreu o corpo, a espera por que me fossem buscar porque não me deixaram conduzir, chegar a casa e ver a carrinha funerária à porta, não conseguir entrar, fugir para ir ter com uma amiga e voltar um pouco mais tarde, já sem a carrinha à porta. Subi ao meu quarto. Em cima da cama, uma toalha de renda embrulhada em papel de seda azul-claro, que a minha avó, a minha Babá, me deixara, acabadinha de fazer.

Foi muito rápido. Foi um aneurisma. Foi uma viragem na vida da nossa família. A minha Babá teria hoje 90 anos, há tantos velhinhos com 90 anos! Mas ela nunca chegou a velhinha... Se calhar ela também não quereria ser velhinha, adorava conversar, conduzir, viajar, pôr-se bonita. A minha Babá vai ser ser sempre bonita, como eu lhe dizia quando era pequenina. Saudades, muitas. Mas com a certeza de que está sempre ao meu lado, a vibrar com os meus sucessos e a sofrer com os meus falhanços. Ela era(é) assim. A minha Babá.

12 comentários:

Ana Chagas disse...



Lamento imenso, Vespinha.

O teu relato comoveu-me, porque me lembro muito bem de como foi receber a notícia da partida dos meus avós.

É tentar focar não na perda dos nossos entes queridos, mas em como ganhámos tanto e de tantas formas em tê-los na nossa vida.
Abraço.

Miss Christie disse...

As lágrimas enchem-me os olhos... Foi há 18 anos que uma embolia a levou. Teria hoje 99 anos.
Abraço forte.

O Sexo e a Idade disse...

Um abraço apertado Vespinha.

Mamã disse...

Beijinhos, querida.
Se... hoje, a tua Babá, estivesse aqui, diria - beijinhos Carochinha.
Adoro-te
Mamã

CAP CRÉUS disse...

Fica bem e que nunca te esqueças dela!

Teresa Cardoso disse...

Também perdi a minha mãe assim...

Sei o que sentes, um grande beijinho :)

As estrelinhas com o nome delas estarão a olhar por nós...

homem sem blogue disse...

Enquanto a recordares dessa maneira estará sempre viva e eterna.

beijo e abraço apertado

homem sem blogue
homemsemblogue.blogspot.pt

Gaja disse...

Abracinho apertadinho

Caco disse...

Muita força. Tenho um avô que faz 102 anos no próximo mês. Nos últimos quinze dias ficou muito debilitado. Fui vê-lo este fds e receio que tenho sido a minha despedida. Tremo sempre que o telefone toca. Dói muito perder quem amamos.

Beijinho.

Carla Pereira disse...

.... (penso que perceberás a minha falta de palavras) Beijinhos

sininho disse...

:*

Vespinha disse...

Obrigada a todos pelas vossas palavras. A Carochinha da sua Babá agradece... :)

Caco, dás notícias?