14 de setembro de 2014

Quem pode pôr termo a isto?

Chamavam-se James Foley, Steven Sotloff e David Haines, eram jornalistas e voluntários, e têm em comum o facto de desde agosto terem sido decapitados pelo Estado Islâmico, que o fez publicitando-o a todo o mundo.

Em nome de que deus se pode fazer isto a seres inocentes? E alguém terá de pôr termo a isto, pois segundo parece já há uma quarta vítima escolhida, Alan Henning. Mundo horrível este em que estamos a viver.



6 comentários:

Tertesa disse...

Eu sei que os "loucos do islão "vão continuar mas, enquanto as televisões do mundo inteiro passarem estas imagens eles ainda fazem pior!! Tiro o chapéu ´RTP que decidiu não as passar!!

Vespinha disse...

Teresa, por um lado tem razão, mas por outro estas coisas continuarão a acontecer com ou sem divulgação, porque muitos outros morrem ou são torturados sem que se saiba, apenas porque não são mediáticos. E é importante que as pessoas conheçam e reflitam sobre o mundo em que vivem.

PS: E a RTP passou imagens sim, no Telejornal. Muito de fugida mas passou.

ana b. disse...

Vspinha, partilho da opinião da Teresa. Penso que devia fazer-se um black out total às actividades desse grupo. Repare que eles só existem na medida em que lhes damos protagonismo. Ele existem apenas nos media. Se lhe cortarmos o pio eles perdem força e deixam de "existir". Eles não são um país nem tão pouco um grupo religiosos; eles são o Mal. Por isso devem ser combatidos, não apenas pelos Estados Unidos e pela Inglaterrra, mas por todo os mundo. E o primeiro passo deveria ser este: cortar-lhes o pio. O que não exclui a necessidade de uma força armada (ou outra) mundial, claro.

GATA disse...

Tal como a Teresa, eu acho que as estações de televisão não deviam dar "tempo de antena" a esta gentalha!

E não tenham cuidado, não... Já há "células" em Espanha... A m***a do Acordo de Schengen só veio facilitar a vida a esta gentalha!

Ana Chagas disse...



Concordo com os comentários anteriores.
Estes radicais conhecem a infeliz realidade dos media ocidentais. Quanto mais chocante a notícia mais difundida, e aqui temos estas imagens, do mais horrível e cruel. Portanto, sim, há que sacrificar o apetite por informação, para que esta gente saiba que actos destes não os fazem atingir os objectivos.

Vespinha disse...

Provavelmente têm todos razão, e percebo perfeitamente o vosso ponto de vista, eu é que às vezes não consigo ficar calada... :(