15 de março de 2020

A minha Babá faria hoje 96 anos


A minha Babá, Avó materna que nunca quis que lhe chamássemos avó mas que foi a melhor avó que se pode ter, nasceu a 15 de março de 1924 e deixou-nos a 30 de setembro de 1997, com apenas 73 anos.

Era uma pessoa rígida e simultaneamente afetuosa, muito ligada a nós mas pronta a libertar-nos se fosse para o nosso bem, culta e poliglota porque era tradutora mas ao mesmo tempo a adorar ver telenovelas e concursos de televisão.

Foi ela que me iniciou no inglês e no francês, e foi com ela e com o meu Avô que visitei os primeiros museus da minha vida.

Não se considerava bonita, mas eu acho que era muito. E adorava receber festinhas dela na cabeça quando víamos televisão. Todos os dias penso nela, e não tenho qualquer dúvida de que é um dos meus anjos da guarda.

1 comentário:

Cidália Ferreira disse...

Existem pessoas no qual nunca esquecemos! Linda homenagem!
-
Sinto que o tempo vai ficando escasso
-
Poder visitar também:
Sinto uma brisa saudar-me ao alvorecer. [Poetizando e Encantado]
-
Beijo, e uma boa noite!