30 de setembro de 2013

Alguém já leu?


Estou cá com uma curiosidade...

Gosto das coisas boas desta canção



PS: E dedico-a à minha Babá, que nos deixou faz hoje 16 anos e que conseguia sempre encontrar algo de positivo na vida.

Balanço curto das autárquicas

Ontem o Parque das Nações deu um grande exemplo ao país. Numa freguesia recém-criada, com cerca de 15 mil eleitores, um grupo de cidadãos anónimos, pessoas como eu e vós, juntaram-se e concorreram à junta de freguesia. E ganharam a TODOS os outros partidos. Que belo exemplo para o país, e que belo espelho do que os portugueses querem. Pessoas válidas, acima de tudo.


Estou feliz.

28 de setembro de 2013

You will be happy


Prima, hoje o dia é teu (vosso). O primeiro de muitos em que só vos quero ver felizes.

Serviço público: Já sabem onde vão votar?

Com tantas alterações que houve nas freguesias deste país, basta clicar aqui, inserir o número de bilhete de identidade e data de nascimento e... voilá, ficamos a saber onde temos de nos dirigir amanhã. Assim não há desculpas.

27 de setembro de 2013

Quase como debaixo do meu sofá

Quais são as possibilidades de...

... eu ser fã de um blogue que fotografa pessoas a ler?
... a autora desse blogue também ser fã do meu?
... um dia descobrirmos que trabalhamos na mesma área?
... passados uns meses eu ir trabalhar para o mesmo grupo que ela (eu em Lisboa, ela no Porto)?
... descobrirmos entretanto que frequentámos a mesma faculdade em Lisboa?
... e agora que o fizemos precisamente nos mesmos anos, embora em cursos diferentes?

Há coincidências do camandro...


Ai vai, vai...

26 de setembro de 2013

Pelos grupos de cidadãos apartidários

Como já aqui tinha dito, vou votar num grupo apartidário para a junta de freguesia do local onde moro. E acredito que muito mais grupos apartidários poderiam surgir no nosso país, houvesse vontade e adesão da restante população.

Por isso, e como prova da aceitação que este grupo está a ter, partilho convosco que a sua página no Facebook conta neste momento com 863 fãs, mais do que a maioria das páginas de partidos candidatos à freguesias. Vamos ajudá-los a chegar aos 1000 até amanhã, eles merecem!

É só clicar aqui.

Os sorrisos das mulheres

A uma mulher, por muito feia que seja, basta um sorriso para que fique mais bonita, empática e convincente. Mas acho que infelizmente muitas ainda não perceberam isso, e preferem usar as suas carrancas para se imporem. Não funciona. Não mesmo.

Tenho saudades das quatro estações

Será este ano que as teremos de volta?

25 de setembro de 2013

Afinal é tão simples!

Declaração(ões) de voto

Este ano, pela primeira vez, voto em Lisboa para as autárquicas. Porque até sair de casa dos meus pais sempre votei em Alfragide, e continuei a fazê-lo durante mais uns anos. Com a vinda para o Parque das Nações, fiquei na área pertencente a Loures, e quando votei foi numa zona que não me dizia nada.

Por isso, é com grande satisfação que na minha primeira votação em Lisboa posso fazê-lo num grupo de cidadãos apartidário. Que não é mais um daqueles apartidários disfarçados, que não têm a marca do partido porque não lhes dá jeito, mas um grupo de cidadãos apartidário que já existe há muitos anos sob a forma da Associação de Moradores e Comerciantes do Parque das Nações (AMCPN). Uma associação que há anos luta por aquilo que interessa: o bem-estar dos moradores e do ambiente da zona onde está inserida. Graças à AMCPN conseguiu-se criar uma freguesia nova e coesa, melhorar algumas zonas verdes, instalar limitadores de velocidade. E agora, se este grupo Parque das Nações Por Nós ganhar, tenho a certeza de que muito mais será feito: a pressão para a existência de mais escolas públicas, o apoio aos animais abandonados que cada vez mais aqui são muitos, a criação de um centro de saúde.


Mas o meu coração está dividido entre o Parque das Nações, onde voto, e Alfragide, onde votei durante mais de metade da minha vida eleitoral. Porque ali vejo pela primeira vez uma alternativa viável ao partido que há anos (todos os de que me lembro) gere a freguesia. Preterindo as zonas menos nobres, não ouvindo os cidadãos, fazendo pouca ou nenhuma pressão para a criação de instituições públicas essenciais. Acredito sinceramente nas boas intenções de Mário Costa e da sua equipa, pela simpatia, pelo modo sincero como falam com as pessoas de todas as classes, pelas ideias importantes mas não idealistas que defendem para a freguesia. Por isso, hoje vou ao debate em Alfragide, que reúne os seus quatro candidatos e todos os habitantes que tiverem interesse em conhecer as intenções de cada um. Desta vez, acredito.

Não acredito que não sintam pelo menos metade destas satisfações

24 de setembro de 2013

Qual seria a vossa?

Para os meus amigos designers

E especialmente para os meus amigos da Ideias com Peso, que seguem estes princípios quase todos à risca. Miss you. Specially on tuesdays.

15 Inspiring Design Quotes

Retirado da Glow.

The dinner, de Herman Koch

As críticas prometiam, com declarações dos autores de Gone girl e de Before I go to sleep, com comparações com We need to talk about Kevin e The slap. A capa, essa, já não prometia muito. E foi desta vez que tive uma enorme desilusão.

A ação principal passa-se durante um jantar entre dois casais, eles irmãos, elas cunhadas. Um deles é um pré-candidato a primeiro-ministro, o outro um professor de História frustrado e desempregado devido a ideias muito próprias que transmitia nas aulas. Aparentemente, reúnem-se para falarem dos filhos de cada casal, que cometeram um crime contra uma sem-abrigo. Pelo meio, sabemos que um dos homens tem uma doença psiquiátrica hereditária que nunca sabemos qual é, que durante a infância do filho a mulher esteve muito doente sem nunca nos ser dito porquê, e que o pré-candidato hesita em se candidatar face ao crime dos rapazes.

E daqui não passa. Ao longo de mais de 300 páginas. Não sei se está traduzido em Portugal ou se vai sê-lo. Anyway, não recomendo.


23 de setembro de 2013

Para as super-mulheres

A artista Heidi Lender cresceu nos anos 70 encarando a sua mãe como uma verdadeira heroína, trabalhando,  tratando de tudo em casa e ainda arranjando tempo para os seus pequenos prazeres e cuidados femininos. «She can leap tall buildings» é a sua homenagem a todas as mulheres que, no fundo, são super-mulheres.








É que hoje não vai ser mesmo!


Parabéns, Mamã


Não te posso dar tudo o que queres, nem tudo o que eu quero. Mas dou-me eu a ti, sempre que posso. E daqui a um ano haverá festa grande.

22 de setembro de 2013

A uma semana das autárquicas: «A minha primeira vez»

Quando eu pensava que já tinha visto de tudo, desde cartazes deprimentes a outros hilariantes, passando pelo famoso vídeo do candidato à câmara de Gaia, chamaram-me ontem a atenção para este, do candidato à câmara de Lamego.

A música, o olhar da rapariga, o piscar de olhos, a roupa, a forma como mexe nas mãos e no cabelo, o pormenor das unhas pintadas só nas pontas, o morder dos lábios, o discurso... sim, o discurso! Isto não pode ser verdade. Comparar de modo explícito a primeira vez que se vota com a «primeira vez» não lembra ao diabo. Mas pelos vistos estes senhores ainda são mais astutos do que o mafarrico.

Já estou como se costuma dizer: «Porta-te assim e depois queixa-te.»



PS: Mulher de Francisco Lopes (se a tiver), não veja este vídeo. É que vai deixá-la muito ansiosa.

Odeio constipações de verão...

... quase tanto quanto este calor que já não se aguenta.

21 de setembro de 2013

Assim é que devia ser

Esta foi a Semana Europeia da Mobilidade. E esta foi a semana em que foram espalhados pela cidade de Lisboa estes mupis com testemunhos de quem gosta de andar de bicicleta e o faz todos os dias. Quem me dera também poder fazer o meu percurso diário desta maneira.

Déjá vu

Se tive um acidente com o meu carro no mesmo dia em que me iam atribuir o carro da empresa, ontem perdi o telemóvel, no dia em que finalmente me iam atribuir o da empresa. Não há coincidências?

Felizmente, uma alma caridosa emprestou-me no comboio um telemóvel para ligar para a cooperativa de táxis, que localizou o meu telemóvel no táxi que tinha acabado de deixar.

Duas conclusões: 1. À sexta-feira o diabo anda mesmo à solta. 2. Mas às vezes aparece um anjo que o trava.

É hoje!


Se soubessem o quanto eu gosto disto...

19 de setembro de 2013

E isto não tem cura

Londres, desenho e bicicletas

Bicycle é um poster com 5 metros de largura retratando com um pormenor incrível corridas de bicicleta pelas ruas de Londres, feito por Ugo Gattoni para os Jogos Olímpicos de Londres. E como conjuga quatro coisas que adoro - desenho, bicicletas e Londres -, ei-lo aqui. Já encomendei a minha versão reduzida na Amazon.


Aqui o making of:



BICYCLE
from Ugo Gattoni on Vimeo.

Política de terra queimada

É a única interpretação que consigo fazer das decisões do nosso ministro da Educação. Para além de estar a dizimar a classe docente a nível físico e psicológico, de obrigar a compor turmas com quase 40 alunos, de ter imposto um calendário de adoção de novos manuais totalmente descoordenado, decide agora que a disciplina de Inglês deixa de ser obrigatória como Atividade Extra Curricular no 1.º Ciclo.

Isto é, passam a ser as escolas a decidir se terão ou não o Inglês como oferta, e muitas estão a optar por outras áreas como a Educação Musical ou a Educação Física. O que significa, na prática, que as crianças chegarão ao 2.º Ciclo com níveis muito variados de aprendizagem da segunda língua (de zero a quatro anos, na verdade). E a abrir um fosso cada vez maior entre os alunos deste país. E a colocar-nos cada vez mais longe da Europa.

Senhor Professor Nuno Crato, diga lá de vez a verdade e o que pretende fazer da Educação em Portugal. É que parece que ninguém o entende e que ninguém se entende.


18 de setembro de 2013

Sem sombra de dúvida!

As voltas que a vida dá (para ver em tamanho gigante)


Este blogue também faz boas ações

Depois de ter descrito brevemente as minhas férias em Odemira após a minha fuga do Algarve, uma seguidora contactou-me para saber como podia passar lá uns dias e obter a mesma calma. Mail para cá, mail para lá, e ela acabou por ficar em casa da minha amiga, onde teve umas férias tão sossegadas quanto as minhas. Que estes tópicos sirvam para alguma coisa!

17 de setembro de 2013

Conhecem este caso?


Caso queiram ajudar:

«Enviem-nos fotos de apoio por email (amizades.improvaveis@sapo.pt) ou mensagem privada com um texto na foto. As fotos serão partilhadas com os voluntários que a salvaram, agradecendo.

NIB: 0010 0000 2640 8250 0010 6 BPI - Hospital Veterinário Baixo Vouga
Se fizer transferência via Internet deve no descritivo colocar "XENA"
Caso efectue através do Multibanco, pedimos o favor de enviar o comprovativo (pode apagar os dados pessoais) com o valor e a data para que se possa associar a transferência.
Caso o valor que se consiga angariar exceda o valor necessário para os tratamentos da XENA esse valor será utilizado em outras causas semelhantes. Serão postados no grupo os comprovativos!! Obrigada a todos!!" por Rita Rodrigues, uma das voluntárias que ajuda a Xena.

Contactos do Hospital:
- 234 646 811
- geral@hvbv.net»

Porque nenhum animal merece um tratamento assim...

É de pôr os olhos neste senhor


Doutorado em Ciências da Educação e em História, Sampaio da Nóvoa é mais conhecido por ter sido reitor da Universidade de Lisboa e por ter sido um dos mentores da fusão desta instituição com a Universidade Técnica. Mas nos últimos tempos tem-se dedicado a refletir e a pronunciar-se sobre o estado do país.

Sampaio da Nóvoa, que raramente faz um discurso sem citar poetas de língua portuguesa, começa a perfilar-se como um independente de esquerda com grande potencial para um cargo presidencial.

A avaliar pelo que tenho ouvido dele, e pelo apanhado abaixo feito pelo jornal i, tem precisamente o perfil que pão num político: o respeito pelo ser humano, pelo cidadão, pelos seus direitos e deveres


Os seus discursos davam para fazer um programa eleitoral. O i foi perceber o que pensa o reitor sobre os principais problemas do país

Austeridade
“Hoje sabemos de ciência certa que a austeridade não é alternativa. O país empobrece, a recessão é cada vez mais profunda”, afirmou, na Aula Magna. Sampaio da Nóvoa defende que existem alternativas ao caminho da austeridade, mas isso não dispensa o rigor orçamental.    


Educação
É um defensor da escola pública e de uma aposta forte nas universidades e no conhecimento como saída para a crise. “O futuro está na valorização do conhecimento, está numa sociedade que se organiza com base no conhecimento”, defende.    


Desemprego
Defende que “o desemprego jovem é a morte a prazo de uma sociedade”. “Se me pusessem nas mãos parte considerável dos fundos comunitários e me deixassem trabalhar com as empresas, com as universidades e com a administração local resolvia o problema em três anos”, disse ao “Expresso”. 

   
Cidadania
Defende que o “revigoramento” da democracia passa pelo reforço dos movimentos sociais. Uma resposta para as “muitas pessoas que têm vontade de intervir”.


Estado Social
É um defensor de um Estado Social forte e um crítico dos cortes do governo nas áreas sociais. “Nestes dois anos não houve qualquer medida de fundo, qualquer mudança de futuro para Portugal, a não ser a obsessão pelo Estado Social.”

Partidos Políticos
Defende que os partidos têm de se renovar. “É preciso renovar a política nos partidos e na sociedade (...) combatendo a promiscuidade entre a política e os negócios.”


Pobreza
Em quase todas as intervenções fala dos mais desprotegidos. Foi para os que vivem “situações de pobreza” que dirigiu as “primeiras palavras” no discurso das comemorações do 10 de Junho. “É neles que penso neste 10 de Junho. A regra de ouro de qualquer contrato social é a defesa dos mais desprotegidos.”

Sou mesmo

16 de setembro de 2013

A Loba no seu estado normal...

... sempre em movimento:


Mas às vezes (muito raramente) está assim durante cinco segundos:


Então o Cascão, admirado, fica assim:

Os portugueses estão a começar a perder a cabeça...

... e o pior é que a meu ver têm toda a razão apesar do excesso contra os seguranças. Isto deu-se no dia 11 de setembro, no Rio de Janeiro, em frente ao Museu Histórico Nacional, em protesto contra a homenagem a Miguel Relvas e a alguns outros.

Apetecem-me laços e laçarotes (e tempo fresco para os usar)



Ambos da La Redoute.

15 de setembro de 2013

I need a hero

Para dizer a verdade, acho que todos estamos a precisar de alguns.

Hoje vou à missa

Não, não me converti numa católica fervorosa, mas quero assistir à primeira missa do novo padre, para ver se é mais próximo dos cidadãos. E também porque gosto muito desta igreja, por fora e por dentro. E também para não ir sempre lá apenas na noite da Missa do Galo.

14 de setembro de 2013

Acho que é uma boa conclusão

Ready, set...

... go!

Cá vou eu hoje de novo com a Loba à veterinária. A ver vamos se não me come os braços pelo caminho. :)

É mau, não é?

Mas por outro lado também é bom quando estamos a ter um sonho mau e acordamos e nos apercebemos de que não é verdade. Acho que chego a preferir esta segunda opção.